Mostra da oralidade galego-portuguesa

Mostra da oralidade galego-portuguesa em Paredes de Coura

A Câmara Municipal de Paredes de Coura, em colaboração com a EPRAMI – Escola Profissional do Alto Minho Interior, promove, nos dias 29 de Abril e 30 de Abril, a ‘Mostra da Oralidade Galaico-Portuguesa’. O objectivo é apoiar a candidatura de Património Imaterial Galaico-Português apresentada na UNESCO. O ponto alto da mostra é o Festival MOSTRA DA ORALIDADE, com a participação, entre outros convidados, do músico Luís Portugal e do grupo galego de pandereteiros “Eiravella”.

www.opatrimonio.org
TF. 00 351 251 78 01 25

Exposições, documentários, contos tradicionais e conferências complementam a iniciativa.

A candidatura Multinacional de Património Imaterial Galaico-Português foi apresentada formalmente na UNESCO pelos governos português e espanhol, como candidata à 3ª proclamação das obras-mestras do Património Imaterial, prevista para Novembro de 2005. É promovida pela Associação Cultural “Ponte nas Ondas”, com o apoio de entidades e instituições de ambos os lados da fronteira.

A associação Ponte nas Ondas! realiza anualmente um programa de rádio transfronteiriço que, em vinte e quatro horas de emissão contínua, une mais de meia centena de escolas dos dois lados da fronteira. O fim-de-semana anterior à emissão do “Ponte nas Ondas”, que este ano tem lugar a 6 de Maio, é habitualmente marcado pela realização de uma mostra da Oralidade. Em 2005, cabe a Paredes de Coura o papel de anfitriã.

Contos e lendas, manifestações da cultura popular, cantares ao desafio ou regueifas, a língua, a tradição oral ligada às actividades agro-marítimas, os ofícios tradicionais, as formas simbólicas, ornamentais e musicais, as festas e romarias ligadas ao ciclo anual da natureza são algumas das manifestações culturais que unem a Galiza a Portugal. A proclamação, pela UNESCO, deste património comum, enquanto Obra-Mestra do Património Oral e Imaterial, pressuporá o reconhecimento internacional de todas estas formas de expressão que se mantiveram na memória colectiva de ambos os povos ao longo dos séculos.