GALHEGOZ. Uma letra mais de U.Pedreira.

Marcos Paino passa habitualmente por Noente Paradise (em Ponte Ledesma, Boqueixom), ali entrega arranjos musicais a Ugia. Esta pom a melodia e a letra, assim foi em “A nossa historia fazemo-la nós” sintonia do programa de radio “Aberto por reformas” de Xurxo Souto na RG, assim foi em “Olhos mil” e na última peza em francês no último disco da Matraca “faire dodo” compartilhando autoria-letra com Martázul.

QUENES REBASAM AS LINHAS? E QUENES CHEGAM PACIENTES ATÉ AS LINHAS?
CONHEZO MÚSICOS ORDEADOS CAÓTICOS… PALAVRAS ABSURDAS QUE FALAM DE TUDO DE NADA DE SEMPRE DE NUNCA JAMAIS.

Letra para Galhegoz.


Quenes rebasam as lin-has?
E quenes chegam pacientes até as lin-has?
Conhezo músicos
ordenados
caóticos,
pessoas que falam de ideias,
e de eventos,
que falam dos demais,
de sentimentos.
Conhezo pastores eléctricos.

Palavras absurdas
que falam de tudo, de nada, de nunca, de sempre, de nuncaxamais… da táboa de multiplicar.

dramaturgia
da burguesia,
a crítica sub jec tiva, a parlante máquina

dialéctica

a aboliçom do profeta?
moralidade como piruleta.
A música e os sonhos som as nossas armas mágicas.